quinta-feira, 9 de outubro de 2008

observadores até demais!

É curioso perceber como as crianças são observadoras! ...E interessante (para não dizer preocupante, hehehe) que elas aprendem muito mais pelo que observam do que pelo que tentamos ensinar com palavras!

O velho ditado Faça o que eu falo, não faça o que eu faço! Que perigo!

...............................................................................................

Meu sobrinho fofo surgiu com uma novidade nas últimas semanas: na hora que alguém está indo embora ele pede para ir com a pessoa até no carro. Espera a pessoa entrar, ligar o carro e aí chega na janela e diz: -Manda um beijo para...

Lógico que ele já notou que os adultos fazem isto!

Outro dia eu tinha ido a casa da minha mãe sem o marido lindo. Ele foi comigo até a garagem, acompanhado da vovó e fez todo o ritual:
-Manda um beijo pro tio Kiki!

De outra vez, tio Kiki estava comigo... Ele gaguejou um pouquinho, olhou para os lados tentando imaginar para quem poderia mandar o beijo, e soltou:
-Tia Cacá, manda um beijo para sua mãe!
Só que a minha mãe é a vó dele, que estava ao seu lado! Morremos de rir e ele riu também ao entender nossa explicação! Sugeri que ele mandasse o beijo para a mãe do tio Kiki! Desde então, ao partimos ele manda um beijo para minha sogra, sem, provavelmente, se lembrar dela, pois só se viram 2 ou 3 vezes!

...............................................................................................

Em outra ocasião eu estava contando uma estória para ele, gesticulando muito, e acabei resvalando as unhas em seus bracinhos, nada grave, mas automaticamente pedi desculpas e continuei nossa estória. Ao fim ele começou a contar detalhadamente algumas partes da estória, gesticulando bastante até esbarrar em mim e falar em alto e bom som: -Ixi, desculpa, tia Cacá! Tão bonitinho e foi notável que ele tinha feito para testar se tinha aprendido!

..............................................................................................

Mais uma cena... Já faz um tempinho... Na casa dos avós... Neste dia ele estava mais enciumado do irmão, então saiu da sala, onde todos estavam e pediu para ir brincar no quarto da madrinha, só ele e eu. Passado uns minutos, a vó, desavisada, para conseguir conversar comigo, vai até lá levando a tira-colo o irmãozinho. Em seguida, já ia saindo do quarto deixando o pequeno. Para evitar conflitos, mas sem querer ser muito direta, eu a chamei e sugeri que levasse o pequeno para brincar com o tio Kiki, que estava na sala. Ela entendeu o recado e o levou. Voltamos a brincar a sós, mas não por muito tempo... O próximo que nos interropeu foi o vovô que entrou e começou a contar uns casos do trabalho, etc. O menininho fofo, percebendo que eu não conseguia brincar e conversar ao mesmo tempo, não teve dúvidas e sugeriu: -Vovô, porque você não vai brincar com o tio Kiki? Ele está lá na sala!

.............................................................................................

Em um aniversário, com a presença de muitas crianças, a aniversariante (tia babona, como eu!) para alegrar os sobrinhos comprou muitas balas, daquelas macias, meio gelatina, em formato de ursinhos, joaninhas, etc! Entre as balas tinha uma branca e rosa, imitando uma dentadura! Uma menininha de vestido colorido (devia ter uns 3 aninhos ou menos!) pegou a bala e anunciou bem alto, chamando a atenção de todos: -Esta é da vovó! Igual a da vovó! E se alguém tinha dúvidas de quem era a avó que usava dentaduras, ela deixou bem claro, pois atravessou a sala como os bracinhos esticados segurando a dentadura até alcançar o colo da vó, a esta altura toda sem graça...

5 comentários:

Nana disse...

kkkkk
Adorei Flavia!
Criança faz cada uma mesmo e aprende rapido.
Lembro do meu afilhado tb e as suas histórias!
Beijos para o seu sobrinho gatinho lindooo
e para vc tb!
hehehe

Mari Azevedo disse...

Flavinha, criança é tudo de bom né? A Isabella agora já está mocinha, mas qdo era menor tinha dessas também... risos.
Uma vez estávamos esperando o elevador, ela no meu colo... chegou um vizinho, um senhor bem gordo.. ela apontou o dedo bem no rosto do coitado e falou: "Mamãe, mamãe, olha o Sr. Barriga!"... eu nao sabia onde enfiar a cara na hora, mas depois ri muito... e a história é contada até hoje.. rs
Beijos, querida.

PH disse...

que barato...

Por isso tanto psicólogo fala... Muito cuidado perto de crianças... Se vocÊ fala uma coisa e faz outra, ela fica totalmente perdida... O exemplo é fundamental...

bjin!

ameixa seca disse...

As crianças são mesmo fantásticas... super honestas e inteligentes :)
Belas estórias!

Agdah disse...

A daqui também sai com cada uma...

...Ele caguejou um pouquinho...

Caguejou??? Traduza aí porque eu só falo baianês.