domingo, 28 de fevereiro de 2010

Marido 'chef' em um fim de semana 'gourmet'


A nossa última ida à praia, graças à boa vontade de meus pais, nos rederam mexilhões, lulas e camarões no congelador... Inspiração perfeita para o marido lindo brincar de chef de cozinha!


Começamos o fim de semana na sexta-feira, estreiando um livro que o marido ganhou de natal: Cooking: Segredos e Receitas! (Para saber mais: aqui!)

Quando eu cheguei em casa a 'entrada' já estava pronta: Melão e Nectarina com Presunto de Parma! Para o calorão que anda fazendo aqui foi uma escolha acertadíssima!
  • 1 melão pequeno
  • 4 nectarinas, cortadas em 4
  • 225g de presunto de Parma, finamente fatiado
  1. Corte o melão em 16 fatias finas e retire a casca. Corte as nectarinas em gomos.
  2. Corte o presunto de Parma em tiras estreitas. Introduza no palito uma tira de presunto e um pedaço de fruta.
  3. Alterne as frutas em uma bandeja e sirva gelado.

Depois foi a vez dos mexilhões! Mexilhões com Tomate e Pimenta Vermelha.

Basicamente seguimos a receita, mas reduzimos todas as quantidades (preparamos 2 porções e a receita era para 4) e fizemos algumas adaptações por necessidade.

A receita original eu reproduzo aqui:
  • 2 colheres (sopa) de azeite de oliva extra virgem
  • 30 g de manteiga
  • 2 echalotas, finamente picadas [usamos cebola]
  • 1/2 colher (chá) de páprica defumada [usamos páprica picante]
  • 1 talo de salsão, bem picado [usamos alho poró - não tem nada a ver, eu sei. rsrsrs...]
  • 1 dente de alho, amassado
  • 1 pimenta vermelha grande, sem sementes, finamente picada
  • 1,800 kg de mexilhões nas conchas [no nosso caso eles já estavam sem as conchas]
  • 2 tomates picados
  • 90 ml de vinho branco seco
  • 2 colheres (sopa) de salsa, picada
  1. Aqueça o azeite e a manteiga em uma panela grande, com tampa que feche bem. Adicione a echalota, a páprica, o salsão, o alho e a pimenta, e refogue até a echalota amaciar.
  2. Junte os mexilhões, o tomate e o vinho e passe o fogo para médio-alto. Tampe e cozinhe por 2-3 min, até os mexilhões abrirem, nexendo algumas vezes. Descarte os que ficarem fechados.
  3. Transfira os mexilhões para tijelas e polvilhe com a salsa. Sirva em seguida.


Na hora que estava quase pronto percebemos que um arroz cairia bem como acompanhar, já que a receita gera um molho delicioso que não queríamos desperdiçar. Por sorte tínhamos arroz pronto na geladeira e foi só esquentar. Não era arroz branco (esteticamente acho que ficaria melhor), era integral e combinou super bem! O livro sugere batatas fritas ou fatias de baguete... O propósito das batatas fritas eu não entendi... A baguete sim, uma vez que os mexilhoes da receita eram com as conchas! Seria uma alternativa finger food para aproveitar o caldinho! No nosso caso os mexilhoes já estavam sem as conchas, por isso acho que o arroz cumpriu muito bem o papel...

Acompanhamos tudo com um vinho branco francês: Chartron La Fleur blanc 2007 (Schröder & Schÿler)! Harmonização muito boa (apesar de eu não entender quase nada disso! rsrsrs...).

Tudo maravilhoso, principalmente para mim que estava morrendo de medo de não gostar de mexilhão! Aprovados!

No sábado... a brincadeira continuou! A sexta-feira foi só o esquenta, pois o marido queria mesmo era fazer uma Paella!

A inspiração foi uma receita do Claude Troisgros, figura divertida de quem somos fãs desde a época que o programa dele era com o Renato Machado! Mas aí já é assunto para um outro post!

A receita do Claude para a Paella Valenciana levava muito mais ingredientes do que a nossa levou, lógico!, mas a nossa adaptação se saiu muito bem, obrigado! Em parte algumas diferenças se devem também ao que 'vimos' o Claude fazer e falar e o que foi de fato colocado no site do programa. Alguém duvida que o Claude improvisa e experimenta durante o programa? Por isso é que ele além de excelente é divertidíssimo!

Ingredientes (no olho! olho grande por sinal, pois queríamos uma paella para dois e ela acabou rendendo para uns 06!):

01 xícara cheia de camarões médios
01 xícara de lulas em rodelas
02 xícaras de mexilhões (os nossos estavam sem casca)
01 xícara rasa de peito de frango em cubos
1/2 xícara de paio em rodelas (na receita era linguiça calabresa, mas o Claude colocou paio)
2 xícaras de chá de arroz para risotto (na receita constava longo fino tipo, mas o Claude...)
alho socado com sal
150ml molho de tomate
um tanto de ervilha congelada (foi totalmente no olho, mas não foi pouco, pois era o verde que faltava!)
umas 4 xícaras de chá de caldo de camarão
1/2 pacote de um tempero (uma mistura) espanhol próprio para paella (Foi o que conseguimos lá no Mercado Central, pois o Claude disse que tinha que ser açafrão espanhol, mas não encontramos de jeito nenhum!)
Paprika, sal, pimenta do reino
Azeite EV

Esquentar a paelleira (ah! não temos paelleira, então improvisamos em uma frigideira grande, mas já estou convencida de que vale a pena comprar a paelleira) com azeite e colocar os mexilhões, por uns 3 min, tampados. Retirar e guardar.

Colocar o alho e suar um pouco.Temperar camarões, lulas, frango e colocar na panela com a lingüiça. Deixar dourar e colocar o açafrão, paprika e molho de tomate. Juntar o arroz e misturar tudo. Colocar 3 xícaras de chá de caldo, cobrir com papel alumínio e deixar cozinhar a fogo baixo durante 10 min. Colocar mas uma xícara de caldo, juntar os petit pois, cobrir e cozinhar mas 8 min. Finalizar com pimenta do moinho e azeite EV. Decorar com salsinha e cebolinha.

Para acompanhar fomos de vinho francês - Figaro Rosé 2006 (Mas de Daumas Gassac)
Ah! Quase me esqueço! No sábado também teve entradinha: Crostini com Tapenade de Azeitona Verde, também do livro Cooking!

  • 2 colheres (sopa) azeite de oliva
  • 1 dente de alho
  • 100 g de azeitona verde, sem caroço
  • raspas da casca de 1/2 limão
  • algumas folhas de manjericão
  • 1/2 baguete, cortada em 12 fatias, tostadas
  • 6 tomatinhos-cereja vermelhos ou amarelos, assados. (opcional) [não usamos]
  1. Coloque o azeite, o alho, as azeitonas, as raspas de limão e o manjericão no processador e processe até obter uma pasta.
  2. Divida a mistura pelas 12 fatias de torrada e guarneça com os tomatinhos partidos.
Dica: Use limão siciliano ou diminua nas raspas de casca. Achei que o limão ficou muito forte! Use uma azeitona de boa qualidade: faz toda a diferença!


Para finalizar, como no domingo teve repeteco de paella, afinal exageramos na quantidade, harmonizamos com outro francês, uma meia garrafa que tínhamos em casa, só que dessa vez era tinto mesmo: Beaujolais-Villages 2007 (Joseph Drouhin). Apesar desta não ser na teoria a combinação mais adequada, consideramos que deu muito certo, marido lindo até preferiu com o tinto. Eu sou suspeita, pois adoro os rosados, então preferi a harmonização do sábado, mas realmente o tinto combinou bem!

8 comentários:

Jo Ann v. disse...

Moules-frites é um prato muito popular na Bélgica e aqui em França. Não é nada menos que mexilhões e batata frita, não fosse a Bélgica o país da batata frita :-D

Flavinha disse...

Pronto: aí está a explicação! Vivendo, escrevendo e aprendendo!

Jo Ann, querida, muito obrigada pela explicação! Agora fez todo sentido!

Moules-frites! Não vou me esquecer!

Beijocas

ameixa seca disse...

Tudo tem um aspecto delicioso :)

laila disse...

hummm gostei do ersultado desta ultima viagem... o livro já se pagou hein? com essas 2 lindas receitas...sou fa inquestionavel de mexilhoes...o classico melao com presunto ficou interessante com nectarinas... e a paella...ah maravilhosa!! Mas essa dupla de cozinheiros passa bem hein? bjos flavinha!!

...Noêmia! disse...

Meodeos! Isto não é um post! É um banquete!!!
:o)

Lud disse...

Ai, Flavinha! Que delícia!
Seus posts são tão apetitosos!!!
Quando vcs irão fazer um jantarzinho desses para os amigos?
Hummmm...
(Pareceu tão bom que eu tive que me convidar! kkkk!)
Beijos!

Marcia disse...

Flavunha
saudades, adorei sua visita.
Mulher, que marido voce tem!!!!Não fica espalhando por ai, rsss, delicias do mar e petiscos faceis e que devem ficar muito bons. Anotados
bj

Sara disse...

Como é bom ter tempo para fazer esse tipo de coisa, eu gostaria de, em algum momento o meu marido faria algo assim, também neste momento que um monte de trabalho, assim, certamente vai comer essas coisas restaurantes em sao paulo