segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Andei lendo...


“Passados dois meses de tantas histórias, comecei a pensar no sentido da solidão... solidão foi a única coisa que não senti depois de partir. Nunca. Em momento algum. Estava, sim atacado por uma voraz saudade. De tudo e de todos, de coisas e pessoas que há muito tempo não via. Mas a saudade às vezes faz bem ao coração. Valoriza os sentimentos, acende as esperanças e apaga as distâncias. Quem tem um amigo, mesmo que um só, não importa onde se encontre, jamais sofrerá de solidão; poderá morrer de saudade, mas nunca estará só”.


Amyr Klink
Trecho do livro “100 Dias entre Céu e Mar”

4 comentários:

ameixa seca disse...

Concordo completamente :)

Fabrícia disse...

Que belo trecho do livro Do Amyr Klink...ainda nao li e adorei a dica.....vou comprar com certeza.
Bjcas para ti.

Ana disse...

Engraçado que eu não ia muito com a "lata" dele, mas minha empresa me proporcionou um evento em que ele foi o palestrante e desfiz minha impressão. O cara é mesmo legal.

Ana disse...

Engraçado que eu não ia muito com a "lata" dele, mas minha empresa me proporcionou um evento em que ele foi o palestrante e desfiz minha impressão. O cara é mesmo legal.