quarta-feira, 24 de junho de 2009

nova idade e nova atividade



No mês de maio eu completei 32 anos!

Para quem passa por este cantinho com alguma frequencia deve ter notado que no menu lateral, aí na direita, surgiram novos links... Isto tem tudo a ver com uma causa que eu abracei oficialmente no último mês: a divulgação do parto normal!

Maternidade sempre foi uma paixão na minha vida! Acho que isso começou quando eu ainda era bem pequena: aos 6 anos eu já me achava um pouco mãe da minha irmã caçula, 5 anos mais nova (aliás, é assim até hoje, uma vontade de cuidar!). Depois, mais velha, me encantei com a capacidade da mulher gestar e parir! Nunca fui muito chegada a sangue, mas antes de me decidir pela arquitetura, aos 18 anos, muitas carreiras passaram pela minha cabeça. Na área da saúde a únca coisa que eu tive vontade foi cursar foi Enfermagem e Obstetrícia... Enfim, o tempo passou, a maternidade ficou guardada num cantinho muito especial do meu coração, aguardando seu tempo... E eis que sua hora chegou, mesmo antes da minha própria gravidez a paixão reacendeu! Modificada, transformada, amadurecida...

E a consequencia disso é que no último mês eu me associei efetivamente à ONG Bem Nascer, que eu conheci inicialmente pela web e depois 'pessoalmente', através de sua fundadora e presidente, Cleise Soares, que é também minha professora de Yoga.

Como eu criei este cantinho para falar de mim mesma, conversar comigo e com quem mais quiser, para ser minha porta de comunicação com o mundo e comigo mesma, desabafar, trocar idéias, aprender, conhecer pessoas, eu quis logo trazer para cá esta minha nova face!

Sendo assim, queridos leitores (nem são muitos, mas e daí? são os que me importam!), a partir de hoje, entre posts culinários, desabafos, casos e aventuras dos sobrinhos mais fofos do mundo, também vão aparecer por aqui posts sobre as boas práticas para um parto respeitoso!

Para quem se interessar e já quiser embarcar comigo, convido para conhecer um pouco mais sobre a Cleise aqui e aqui no Mamíferas!

Para quem está em BH, outra opção é participar da Roda Bem Nascer, no Parque das Mangabeiras. Informações no blog da Ong!

8 comentários:

Nana disse...

Fla, sabe que eu já tive o meu momento quero ser barriguda, decidi queria parto natural em casa, marido olhava com uma cara "nem vem que não tem", como dinheiro hj é algo que não pertence a minha vida por algum tempo, deixei essa vontade de lado tb.
Mas eu sou a favor de parto natural e passar pelo processo que Deus deu, só se algo acontecer, ai sim, passa na faca.
Bjss

Flavia disse...

Oi, faz tempo que eu não passava por aqui... já nem lembro como cheguei até o teu blog... Mas adorava as receitinhas. risos.
Que surpresa boa esse post.
Uma boa causa para apoiar e divulgar. SEMPRE!
eu optei por parto domiciliar... e por maternar, da maneira mais natural possível. e tenho muito orgulho das minhas escolhas.
um beijo.

Flavia

meu relato de parto (se te interessar...)
http://joaoastronauta.blogspot.com/2007/12/021207.html

Mel L. Ramos Bryar disse...

Oi Flávia! Que bom que passavas lá no meu blog, fico muito feliz com minhas amigas fiéis!!! Nossa, adorei seu post...menina, eu ainda não tenho filhos...estou atrasada porque afinal são quase 10 anos de casada...mas, vai chegar o momento...ai,ai,ai e quando chegar eu quero muito parto natural, mas menina...morro, morro de medo! Então vou ler tudo sobre o assunto no site e nos links que vc recomendou...sei que o medo vai continuar, mas pelo menos vai ser um medo informado, consciente...pq na verdade nunca parei para saber mais!! Valeu!!!beijos

"Manjares da Manu" disse...

Olá, obrigado pela visita!!!
Eu hj já tenho o meu baby e infelizmente não foi parto normal,por muitooooooo medooooooo, resolvi optar pela cesariana!!!!
Um grande bj!!!!!

Ana disse...

Flavinha:
Aterrisei, foi só vc pedir....hehe.
Acontece que estou de férias, sem internet à disposição, etc e tal.
Bem, este post me chamou a atenção pois tive dois partos normais, amamentei o primeiro por quatro anos e a segunda por seis, um na sequência do outro. Isto significa dez anos de amamentação ininterruptos, com muito orgulho, raríssimos resfriados, crianças descalças e peladinhas, felicidade imensa e sem qualquer arrependimento. Prometo olhar com mais atenção e já vi que vou gostar muito do blog "mamíferas" e também saber mais sobre a ONG.
Quem sabe até contar minhas histórias por lá.
Beijo grande pra vc.

Juliana disse...

Oi Flavinha, que saudade!! Quanto tempo!!!

Já tinha visto os links anteriormente e ficado curiosa sobre suas razões e somente agora li sua explicação. Muito legal!!

Não sei se sabe que me formei em enfermagem. Trabalhei por 7 anos na área, inclusive desevolvendo trabalho educativo para (e com) grávidas e grávidos, onde, claro, difundíamos e defendíamos o parto normal.

Creio que o grande desafio é trabalharmos os medos e mitos que cercam o parto normal entre as mulheres e as questões que levam os médicos, sobretudo na área privada a optarem pelo parto cesáreo. No final das contas, será que todo esse medo também não tem certa conveniência e conivência?

É claro também que a cesariana possibilitou salvar muitas vidas, tanto de crianças como de mulheres, e seus méritos e indicações não devem jamais ser desprezados ou desconsderados. Mas daí a ser banalizada!... é bem diferente!

Parabéns pela sua luta!!
Beijos grandes, Ju.

p.s.: Recebi seu post. Obrigada pela consideração e carinho!
Que legal que o "marido lindo" gostou da cidade! Imagino que tenham curtido bastante! O lugar e as pessoas!

Lud disse...

Eu morria de medo da hora do parto! Qualquer tipo! Só pensava em ter o meu filhote, mas evitava pensar muito em como seria. Bobagem pura! Tive parto normal e foi ótimo! Muito tranqüilo! Meu bebê nasceu em 20 minutos, pouco depois de meia noite, e às 07hs da manhã eu já estava de pé! Me recuperei muito rápido! Pronto... acabou o medo e eu digo: foi muito melhor do que se tivesse sido cesárea! Agora vc também tem que arrumar um filhotinho pra brincar com o meu, Flavinha! Beijinhos!

Carol disse...

Oi, Flavinha!
Sabe que seu rosto não me é estranho... te conheço de algum lugar!
Bjos,
Carol